Trauma, Culpa e Medo... Perdoe... - Como tomar Atitudes Que te Dão Poder
Home / Geral /

Trauma, Culpa e Medo… Perdoe…

Trauma, Culpa e Medo… Perdoe…

Acabei de assistir a um filme chamado Girl fight – baseado na vida real de Haley Mackin, uma jovem de 16 anos que faz uma postagem na internet falando de suas amigas populares e por causa disso ela leva uma grande surra.

Agora são 2h da manhã, foi um dia puxado, acordei às 4h45 viajei, cumprir várias agendas e parei apenas às 18h no apartamento dos meus pais, acabei dormindo e acordando às 23h45 com fome, fiz um lanche e acabei encontrando este filme na tv.

Assistir querendo dormir, mas o sono foi embora de repente, com algumas cenas violentas do filme, apesar de não ter assistido o início deu para entender que Haley era uma jovem idealista que quer ser popular. Por causa disso ela se envolve com as meninas mais populares da escola, deixando de lado suas antigas amigas.

O Pesadelo Começa.

Mas certo dia ela fez uma postagem falando mal de uma de suas amigas populares, por causa disso, ela foi convidada para ir na casa de uma delas, lá ela foi brutalmente agredida, ao som do coro de suas agressoras, reage! Lute! Faça algo!

Ela foi agredida no rosto inúmeras vezes, seu olho esquerdo teve a visão prejudicada, devido aos inúmeros tapas, um de seus tímpanos foi perfurado, ela levou vários chutes, seu nariz foi quebrado e as amigas se revezavam para que a pancadaria não parasse, até mesmo quando ela estava inconsciente.

Mas as cinco amigas, além de agredirem tiveram o sangue frio de gravarem toda a tortura, uma delas, apenas assistiu e consentiu tudo o que estava acontecendo.

Depois disso, elas levaram Haley até um carro e a deixaram em um estacionamento de supermercado, com a ameaça de que ela não deveria contar nada,  lá ela foi amparada por populares que a encaminharam para o Hospital.

Os pais foram avisados e ficaram horrorizados com a situação de sua filha e foram logo perguntando o que aconteceu. Ela imediatamente contou tudo, revelando detalhes da sessão de tortura.

A avó de uma das agressoras, ao saber do fato entregou o vídeo das agressões para a mãe de Haley, que por sua vez entregou para a polícia.

Haley entra num processo depressivo, ela não quer falar com ninguém, sua irmãzinha não a reconhece devido ao inchaço de seu rosto desfigurado, como doe toda aquela situação.

Sente-se Culpada.

Haley se sentem culpada, é uma característica emocional de pessoas que passam por traumas de agressão, ela acha que de alguma forma ela mereceu toda aquela barbárie.

Já recebi alguns e-mails de pessoas que sofreram Bullying na escola com apelidos e agressões. Conheci Jorge (nome fictício) que por causa de sua pele era chamado de “café”. As brincadeiras eram pesadas, colegas colocavam as mãos no seu rosto para dizer que o café não estava quente.

Nas redes sociais seus colegas postavam inúmeras fotos de xicaras de café, perguntando se alguém queria café.

Ele me disse, que não deixava barato, ele era agressivo, ele não respeitava ninguém, nem mesmo os professores, mas com o tempo ele percebeu que estava perdendo a batalha, porque as encarnações começavam na escola e continuavam 24 horas por dia nas redes sociais.

Ele não saia mais de casa, pensou em suicídio, porque o culpado de tudo aquilo que estava acontecendo era ele. Se ele conseguisse se comportar melhor, se ele fosse mais respeitador ou se ele tivesse a cor diferente.

Agora voltando a história de Haley, o vídeo por se tornar prova do processo, acaba se tornando público e em parte é liberado para imprensa, todo o EUA fica sabendo da história.

No Youtube o vídeo tem 500k visualizações dias, os comentários são os mais diversos, uns acham que foi pouco, outros dizem que fariam pior, outros dizem que as cinco agressoras deveriam ser enforcadas, esfoladas, estupradas e por ai vai.

Ela queria ser popular e acaba se tornando popular, as agressoras gostam da repercussão, elas vão em programas de auditório para contar a versão delas da história, elas viram celebridades, passam a dar Autógrafos e a tirar selfs com desconhecidos na rua.

Haley não quer testemunha pois ela estar com medo das garotas, até que ela assistiu o vídeo e fica totalmente revoltada, aceitando testemunhar. Caso elas fossem julgadas como adultas, elas pegariam prisão perpetua, por sequestro e tortura.

Eu sinto Medo

Outra característica é o medo, recebi de um e-mail de uma moça que irei chamar de Isabel, ela apanhava do padrasto, que era agressivo a todo instante e pelos motivos mais banais ele iniciava uma sessão de espancamento.

A mãe sabia de tudo mas não fazia nada, até que uma professora denunciou a situação para o conselho tutelar.

Ela de início contou tudo, só que a situação ia pegar para a sua mãe que não havia feito nada com relação aquela situação. Foi então que ela começou a negar tudo, ela me disse que não tinha pena da sua mãe, ela já não a amava mais, já o padrasto ela odiava, mas também tinha muito medo dele.

Ela me disse que a qualquer momento ele poderia voltar e aquilo estava deixando ela maluca. Ela estava apavorada, não conseguia dormir, ela estava trancada num quarto na casa de sua avó e de lá não saia nem mesmo para comer, pois a qualquer momento o padrasto voltaria para lhe matar.

Mesmo ele preso em outra cidade, assim mesmo a vida tinha perdido o sentido para ela. A sua mãe respondia o processo em liberdade e se dizia vítima da situação. A pergunta que ela me fazia era: Por que tudo aquilo estava acontecendo com ela? Onde estava Deus naquela hora?

Os pais das meninas agressoras tentam um acordo para livrar as filhas da prisão perpetua, mas para isso os pais de Haley deveriam aceitar o acordo, mas os pais não querem. Pelo acordo elas seriam julgadas como crianças, recebendo apenas penas sócio-educativa.

Eu nos lugares dos pais, também teria dificuldade em aceitar este acordo, eles queriam justiça, mas Haley pede para os pais para aceitarem o acordo, pois ela queria se ver livre disso, ela queria perdoar e esquecer toda aquela situação.

Os pais estão irredutíveis, até que na audiência de conciliação, os pais aceitam o acordo, livrando as garotas agressoras da prisão perpetua.

O Poder do Perdão

No filme pelo menos três agressoras aparecem comovidas ou agradecidas pelo perdão que lhes garantiu vida fora da cadeia. Outras duas fazem pouco caso, mas o interessante foi ver Haley voltar a sorrir depois de sair da presença da juíza. Ela havia vencido.

Na frente estar toda imprensa aguardando uma das partes sair. Os pais de Haley a convidam para sair por trás do tribunal. Mas Haley diz que agora ela era capaz de encarar qualquer um. E ela faz isso, o perdão lhe deu poder. Ela enfrenta os repórteres, responde perguntas como uma heroína que acabou de vencer uma guerra.

O Perdão nos dar poder, nos faz ir em frente, nos faz mais forte do que realmente somos, reter o perdão no aprisiona, nos envenena e nos enfraquece.

Nunca mais falei com o Jorge (o aluno chamado de “café”), não tenho notícias dele, mas escrevi vários e-mails o levando a perdoar os seus amigos, mas ele não me respondeu. Porém falei com Isabel, a menina que era espancada pelo padrasto, quando lhe falei sobre perdão, ela me fez a seguinte indagação:

“- Como irei perdoar a minha mãe, que deveria me proteger, mas que me entregava nas mãos daquele monstro?”

Eu expliquei que o perdão iria expelir aquele medo, o perdão iria lhe dar uma nova perspectiva de vida. Depois de muita insistência, ela resolveu encarar a sua mãe.

Foi um pouco tenso no início, pois a mãe dela colocava toda a culpa nela, por tudo o que estava acontecendo, por causa disso sua mãe foi ríspida, usou palavras duras, que normalmente iria a levar a odiar mais a sua mãe.

Mas naquele dia, com lágrimas nos olhos ela pediu perdão para a sua mãe, por todas as tristezas que ela estava passando, por ela ter ido a polícia, por ter perdido o seu companheiro e pelas pessoas da rua a desprezarem. Ela pediu perdão, por não mais suportar os tapas no rosto, por não mais aguentar os chutes em sua barriga, por não mais poder ouvir palavras tão torturantes que a estavam matando.

A mãe ao ouvir aquele pedido de perdão, a abraçou e chorou e chorou, não havia palavra na sua boca, apenas lágrimas nos olhos.

Quando sua mãe recuperou as suas forças, ela disse para Isabel, minha filha me perdoe, você não precisa pedir perdão para mim por nada, eu a partir de agora, vou cuidar de ti, eu vou te proteger, ninguém nunca mais irá encostar em ti.

Ela saiu do quarto, sua mãe e ela foram morar em outra cidade, tudo recomeçou, algum tempo atrás ela me falou que estava gostando de uma pessoa e que estava pensando em casar.

Mas tudo isso começou a partir do Perdão. Portanto perdoe…

Share this article

Comments

  • MITIKO MAKIAMA
    março 28, 2017

    Realmente o perdão e divino. Mas ate chegar nesse ponto. Muitas lágrimas sao derramados, muitas mágoas acumuladas, muitas ofensas ditas… Dificil…

    • abril 1, 2017

      Mitiko, o perdão nos livra do acumulo de mágoas e ressentimento. Lágrimas virão, as vezes um sentimento de ódio e um forte desejo de vingança. O Perdão estar em não querer mais nenhum tipo de recompensa má para a pessoa que te machucou. Obrigado por suas palavras, Deus abençoe.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.